terça-feira, 22 de outubro de 2013

Servindo a Deus com um coração puro.





"Eles estavam subindo para Jerusalém, e Jesus ia à frente. Os discípulos estavam admirados, enquanto os que o seguiam estavam com medo. Novamente ele chamou à parte os Doze e lhes disse o que haveria de lhe acontecer:
"Estamos subindo para Jerusalém e o Filho do homem será entregue aos chefes dos sacerdotes e aos mestres da lei. Eles o condenarão à morte e o entregarão aos gentios,
que zombarão dele, cuspirão nele, o açoitarão e o matarão. Três dias depois ele ressuscitará".
Nisso Tiago e João, filhos de Zebedeu, aproximaram-se dele e disseram: "Mestre, queremos que nos faças o que vamos te pedir".
"O que vocês querem que eu lhes faça? ", perguntou ele.
Eles responderam: "Permite que, na tua glória, nos assentemos um à tua direita e o outro à tua esquerda".
Disse-lhes Jesus: "Vocês não sabem o que estão pedindo. Podem vocês beber o cálice que eu estou bebendo ou ser batizados com o batismo com que estou sendo batizado? "
"Podemos", responderam eles. Jesus lhes disse: "Vocês beberão o cálice que estou bebendo e serão batizados com o batismo com que estou sendo batizado;
mas o assentar-se à minha direita ou à minha esquerda não cabe a mim conceder. Esses lugares pertencem àqueles para quem foram preparados".
Quando os outros dez ouviram essas coisas, ficaram indignados com Tiago e João.
Jesus os chamou e disse: "Vocês sabem que aqueles que são considerados governantes das nações as dominam, e as pessoas importantes exercem poder sobre elas.
Não será assim entre vocês. Pelo contrário, quem quiser tornar-se importante entre vocês deverá ser servo;
e quem quiser ser o primeiro deverá ser escravo de todos.
Pois nem mesmo o Filho do homem veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos".


Marcos 10:32-45




Como todos sabemos as denominações evangélicas possuem vários cargos de “serviço”, pastor, presbítero, diácono, etc. Porém os motivos para o “serviço eclesiástico” são diversos. Uma pergunta que todo o crente deveria fazer a si mesmo é “Por qual motivo estou trabalhando  na igreja”.
A Bíblia é muito clara em nos mostrar que devemos trabalhar na obra de Deus por amor, e nunca por vaidade. Os discípulos de Jesus já o seguiam há algum tempo, e mesmo assim estavam discutindo sobre qual deles seria “o maior”, “o mais importante”. Jesus estava indo para Jerusalém para morrer numa morte sacrificial, vicária, expiatória e redentora que livraria a humanidade da escravidão do pecado. O Senhor sempre advertiu os seus discípulos sobre o orgulho religioso, sempre combateu a religiosidade hipócrita dos fariseus, mesmo assim os apóstolos não estavam entendendo muito bem.
Temos que tomar muito cuidado com o tipo de cristianismo que estamos vivendo. Ou estamos realmente servindo a Jesus independentemente do cargo que ocupamos, ou estamos servindo a nós mesmos por motivos mesquinhos.
Como já citado existem vários cargos. Estes  foram estabelecidos por líderes cristãos em diferentes épocas da história e em diferentes comunidades cristãs . Cargos que pertencem à igreja como organização. Entretanto é bem possível a pessoa trabalhar na igreja e não estar de fato servindo a Deus.
Vale lembrar também que existem  diferentes sentidos para  a palavra “Igreja”. Teologicamente falando existem duas igrejas, a igreja como organização que é a visível, e a igreja como organismo que é a invisível. A igreja como organização oferece vários cargos, mas a igreja como organismo não oferece cargo nenhum, apenas funções.
A igreja como organismo aparece na Bíblia com os nomes Noiva do Cordeiro, Sarmentos da videira verdadeira, Edifício de Deus, Congregação dos santos, etc. Além desses nomes há um que exemplifica muito bem a diversidade de funções na igreja que é O Corpo de Cristo.
Assim como o corpo tem muitos membros e nem todos os membros tem a mesma função, assim é também o Corpo de Cristo.
No Corpo de Cristo todos os membros são importantes, e devem trabalhar para o bem do corpo como um todo. Quem tem o dom de profecia deve falar para edificação, exortação e consolação, quem tem o dom de curar será usado para curar milagrosamente outra pessoa, quem tem o dom de ensinar deve trabalhar para a edificação de outros cristãos, e assim por diante.
Quando Deus dá um dom é sempre para abençoar outra pessoa. Devemos servir a Deus por amor a Ele, aos irmãos e às almas daqueles que ainda não conhecem o Deus que se revelou em Jesus e que dá uma vida nova para quem se entrega à Ele voluntariamente.
Um corpo sadio tem a capacidade de se curar. Quando Jesus lavou os pés dos discípulos nos deixou o exemplo. Lavar os pés uns dos outros é cuidar uns dos outros, é ajudar uns aos outros, é socorrer uns aos outros reconhecendo que também somos dependentes de Deus.

Um cristianismo puro não é construir grandes igrejas, ter lindas orquestras, cantar bonito, falar bonito, vender DVDs, Pregar em eventos famosos, sentar de frente para o povo ao invés de sentar na direção que o povo senta. Nada disso é importante ou essencial. Os valores estéticos (valores para quem está com a mente desviada) tem cegado muita gente. Por isso a igreja tem se tornado doente. 

O importante mesmo é ter Jesus como seu único e suficiente salvador e servi-lo com um coração puro.

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Esperando a Rebeca

Existe no meio evangélico a seguinte expressão "estou esperando em Deus" e tem também a "Deus vai preparar a sua Rebeca". Ambas referem-se à vida sentimental, querem dizer que Deus está preparando uma pessoa para o cristão que está solteiro se casar. Não nego que tudo devemos a Deus, precisamos ser gratos por todas as coisas boas que Ele nos dá, até porque não merecemos, tudo recebemos exclusivamente pela bondade D'ele.
Essas frases que todo mundo fica falando e repetindo por aí são um grande sinal de alienação, ao invés de gerar reflexão apenas deixam as pessoas ainda mais alienadas e com preguiça de pensar.
Se o manual e regra de fé e conduta do cristão é a bíblia, então ela deve ser compreendida e não receber todo o tipo de interpretação equivocada. Sobre o casamento o Novo Testamento é bem direto, Jesus disse "quem puder receber isso receba" falando de celibato. Nas epístolas encontramos o Apóstolo Paulo escrevendo aos Coríntios "Quem não puder se conter que se case" e "não temos nós o direito de levar conosco uma esposa crente como os demais apóstolos...". Não há no NT muito sentimentalismo em cima desse assunto, nem fórmula mágica. São coisas que o homem é quem deve resolver. Deus abençoa sim, mas isso não quer dizer que não somos nós quem escolhemos com quem vamos casar.
O grande problema é que muitos jovens cristãos se apegam ao salmo 40 que fala sobre paciência e acham que tem que ficar esperando, esperando e esperando. Muitos na indecisão, ficam pedindo confirmações absurdas para ter a certeza de que a pessoa  de interesse foi enviada por Deus, a verdade é que o crente precisa parar de ser indeciso, ou você quer ou você não quer. A história de Isaque e Rebeca foi um caso particular, ele precisava casar com alguém de sua família e o servo de Abraão foi enviado com essa missão especial e única. Em momento nenhum a bíblia ensina que devemos ficar pedindo confirmações antes de escolher alguém para casar.
É claro que cada um tem o direito de fazer o que quiser, e Deus pode sim dar uma confirmação, sei que isso ocorre. Mas o problema está no exagero, no fanatismo. Deus não é obrigado a confirmar nada, nem você é obrigado a casar com ninguém.
Tem muito jovem cristão que sofre com a solidão por essas besteiras. O Evangelho liberta, e não escraviza a comportamentos idiotas e alienantes. O jovem crente deveria idealizar menos e começar a aproveitar melhor as oportunidades que Deus dá, conhecendo pessoas e se deixando conhecer.